Amar é sentir a sensibilidade de uma flor..

Amar é sentir a sensibilidade de uma flor..
Amar é sentir a sensibilidade de uma flor.

Aos amigos.

Aos amigos.

O meu livro.

29 de junho de 2013

Como as Gaivotas!


Voar como as gaivotas mar afora.

Libertas,
procuram seus caminhos,
a procura dos ninhos.

Em retas ou curvas,
sobrevoam em águas mansas,
 até o limite, 
onde suas asas descansam. 

Como esses pássaros meu voo é rasante.

Vivo esse instante,
como um barco,
que
navega,
atravessando mares,
junto às gaivotas,
procurando aportar
 em local seguro,
para tentar
 chegar,
 a um caminho
e
me aconchegar.

Como as gaivotas quero voar,
livre e solta,
mas envolta,
 com a ilusão de ancorar,
além do mar,
para finalmente encontrar,
o desejo de amar! 


Como as gaivotas.....

Poema-Carmen Lúcia-imagem-Goumyz








28 de junho de 2013

Um Violino e uma Canção!

Não ouço a suave música,
ao
 romper da madrugada.

Sonhos que ficaram, 
 aos toques
finos,
do
nobre violino.

Tantas canções tocadas!

Sensações que deixavam
 nossos corpos
entrelaçados,
abraçados
e
aquecendo-nos.

Recordações das emoções,
que
envolviam-nos
 e
continuam,
envolvendo-nos.

Um prazer,
sentido nesse tocar,
ao convite 
de dançar e amar.

Momentos de encantos,
deixados
como prantos,
em líricos acordes,
  do
 suave violino.

Quero voltar a ouvir!

Um violino e uma canção....

Poema Carmen Lúcia-imagem-goumys.

  








27 de junho de 2013

Sutilezas do Amor!

  Meu tempo
é ficar, 
nessa derradeira
espera.

 Meu tempo
é contar,
 as pétalas,
da primorosa
 rosa.

Meu tempo
 é observar,
folhas caídas
sobre a terra,
 ficando adormecidas.

Que esse tempo,
faça reavivar
 essas pétalas,
 pelo orvalho que cai.

Sendo como gotas,
que rolam das
lágrimas de um olhar.

Ficarei à esperar!

Pelas sutilezas
levadas,
pelo perfume da flor, 
em
que as rosas,
novamente sorrirão
 e
chegarão
junto à mim,
vindas
pelos encantos das suas mãos.

Uma espera do reencontro desse amor,
deixadas,
pelas pétalas de uma flor!

Quantas sutilezas....

Poema-Carmen Lúcia-papillondavril.

















26 de junho de 2013

Imaginação de um Poeta.

 
Como poeta,voarei
 com asas da
imaginação.

Pisarei
entre nuvens de algodão
e
transformarei
em magia
 essa doce ilusão.

Minhas asas,
colorem-se,junto
aos
raios dourados do sol

ao azul do céu,
 em 
leves filetes prateados.

Começo a planar em pleno ar.

Vejo a Lua
sorrindo e abraçando,
eternos
 enamorados.

Estrelas caindo,
cintilando
sobre terra
e
folhas molhadas.

Bem devagar,
minh'alma
 rabisca em rascunhos
 letras descritas,
em 
próprio punho.

A ilusão transforma-se,

dessa forma
crio e invento.

Na imaginação de um poeta,
ele faz descoberta.

Deixa nas entrelinhas,
a carícia de sorrisos
alegrando olhares
em 
suaves rabiscos.

Em doação de amar,
entrega
um poetar
 àqueles que adoram ler
e sonhar.

E nesses sonhos,
quem sabe cria
 e
recria,
essa linda magia
em 
sabor de festa
feita
pela imaginação de um poeta.


Obrigada a todos amigos que me visitam diariamente.

Carmen Lúcia-pappilondavril.











25 de junho de 2013

Silêncios da Madrugada!

 Silêncios da madrugada,
esperam pelo
  amante amado.

 No passado,
os mesmos silêncios,
rompiam a aurora.

Velhos tempos,
onde
se escondiam,
momentos
 vividos outrora
e
desejados
agora.

Desejos de encontros,
são sempre grandes desejos.

Mesmo que sejam em silêncios,
imensos.

O amor percorre seu corpo,
em busca daquele
 que um dia,
na madrugada voltaria.

Ah,voltaria e não mais se esconderia!

Romperia silêncios,
entre 
abraços e longos beijos.

A espera é longa,mas o tempo
fica à espera.

Das madrugadas silenciosas,
dos encontros,
 até o romper do dia
e
dos murmúrios melodiosos.

Da chegada esperada, 
 aos toques de dois amantes,
em silêncios da madrugada!

Poema-Carmen Lúcia.Imagem-papillondavril.


24 de junho de 2013

Que amor é esse!

Que amor é esse,
 que chega tão de repente.
Se instala em nossos corpos
e
se iguala aos enamorados cisnes,
diante de um luar iluminado.

Que amor é esse,
que chega tão de repente
e
às vezes tão ausente,
evapora-se,
como o ar que respiramos
diante de um céu tão estrelado.

Que amor é esse,
que chega tão de repente,
arrancando de nossas almas
essa doce ilusão
de
eterna paixão.

Que amor é esse,
que as juras
 chegam em sussurros,
percorrem encostas,implorando
socorros
e
 portos seguros.

Que amor é esse,
que
nos procuramos por toda parte,
como aves procuram seus ninhos,
fugindo do abate.

Que amor é esse...


Poema-Carmen Lúcia






















23 de junho de 2013

Voejar e Renascer!


Recolhida ao silêncio,
começo voejar.

Quero ficar nesse pequeno espaço

e
com minh'alma,
viajar.

Quem sabe, 
recomeçar nesse abrigo
uma nova vida,
 entre tantas já vividas.

Quero sentir
o calor,
 que envolve meu corpo
e
me carrega,
 como um sopro.

Ah,mas será preciso voltar!

Voltar dessa viagem,
com minh'alma retornando,
para novamente viver.

Quero somente voejar e renascer....



Poema-Carmen Lúcia.
 

















  






22 de junho de 2013

Quando os animais falam!Conto-reeditando.

Lá estava a Sra.Leoa com sua amiga Srta.Tigresa.

Sim,digo Tigresa,por ser muito linda e esse nome foi escolhido por mim.

Dizia a Sra.Leoa :

Amiga,você está cada dia mais bonita,o que está acontecendo?

Responde a Srta.Tigresa:

São seus olhos,estou sempre igual.

Diz a Sra.Leoa:

Mas parece que algo está diferente em você!Seu olhar está brilhante.Hum!Como já disse,deve ser o amor.

Responde a Srta.Tigresa:

Você está vendo aqueles dois Tigres,parecem tão lindos,não sei qual deles escolherei para ser meu companheiro.

Diz a Sra.Leoa:

Escolha os dois.

Responde Srta.Tigresa:

Impossível!Sairiam em luta e talvez,um não sobreviveria.

Diz Sra.Leoa:
Ora,Escolha aquele que lhe traga a caça maior.

Pergunta a Srta.Tigresa:
Como devo proceder?

Diz a Sra.Leoa:

Finja que está faminta e veja,qual dos dois é mais rápido em lhe mostrar que é um grande caçador.

Srta Tigresa,pensou no que a amiga disse e fingiu estar com muita fome.
Os dois Tigres,saíram à caça e um lhe trouxe uma pequena ave e o outro um Leão.
Passados alguns dias,Srta.Tigresa,encontra a amiga muito triste e pergunta:

Está triste querida amiga?

Diz Sra Leoa:
Sim,estou triste,meu companheiro foi levado por um Tigre.

A Srta Tigresa responde:

Nossa!Era o seu companheiro que eu devorei?E agora,como poderei ajudá-la?

Responde a amiga:

Eu irei conquistar um daqueles leões e o que me trouxer a caça maior,ficarei com ele.

Passados alguns dias,um dos Leões,traz também uma ave pequena e o outro um Tigre.
E ela o devora,ficando saciada.

Agora a minha pergunta:

Seria aquele companheiro da amiga Srta.Tigresa?

Para pensar!


"Quando alguém lhe der um conselho,pare e pense,para que não tenha uma grande surpresa"!


Conto-Autoria-Carmen Lúcia. 



21 de junho de 2013

Pintura sobre Tela!


Como pintura em tela,
nossos corpos são delineados,
 em nuances de cores,
nessa estação de Inverno.

Nossos beijos ardentes,
selam esse amor,
observados
pelo luar prateado,
que cai sobre nossas vestes
e
 águas do mar.

Nossa espera é pelo Sol,
com seus raios dourados.

Venha aquecer
o delírio de duas almas,
que  se desejam
nesse sentimento de dois enamorados.

Nada nos impede.

Seremos premiados,
em amor e delicadeza, 
de dois seres,
que se amam,
 como
eternos apaixonados.

Um quadro pincelado,
com a areia que pisamos
e
pelo amor que nos entregamos.

Expostos ficamos.

O que nos conforta
é
a pintura que reluz,dentro
de dois corações,
em grande amor que seduz.

Somos uma pintura em tela.
Recebemos juntos
esse banho de cores,
em promessas
 de juras e de amores!

Poema Carmen Lúcia.









20 de junho de 2013

Vontade de viver!


 Expandir,a vontade de viver.

Sentir,
o pulsar do coração
e o sobressair
das vestes.
Deslizando em pés descalços,
essa linda canção.

Dançando,
com trejeitos delicados,
premiados
 de anseios e ansiedades.

Um ritmo acelerado e um convite para amar.

A música,torna-se um deleite,para

unir corpos em desejos
de carícias.

Dançarina que baila,
exalando em vestes rubro,
fragrâncias de perfumes,
que envolvem ombros desnudos.

Vontade de viver,
correr
 e
dançar.

 Ilusão
de encontrar,
 seu verdadeiro amor
e paixão.
Entrega-se
nesse balançar,
a um intenso desejo de amar!

Viver intensamente...

Poema-Carmen Lúcia.


































19 de junho de 2013

Águas Geladas!

Tarde fria.
Escondida ela
emerge
sobre águas geladas.

Um corpo
quase nu,
entre flores,entrelaçadas.

Nesse entardecer,
onde o dia se despede,
e
à espera é longa.

Belos campos,
aos olhares se prolonga,

para encontros
e
desencontros.

Murmúrios ao longe,
onde somente
se ouve 
os pássaros da noite.

Cabelos ao vento revoltos,
em rosto
entristecido,
pelo aguardo do tempo
já envelhecido!

Suavemente sua alma,
se acalma.
Momentos se completam, ao sentir-se
aquecida,
como adormecida,
nos
braços das águas
que correm mansas.

E nesse pequeno remanso,
haverá um descanso
 à espera
de quimeras desejadas.

Emergindo das águas geladas
observa e pensa o quanto foi desejada!

Em águas geladas...

Poema-Carmen Lúcia





















18 de junho de 2013

As Rosas -Reeditando

Toda semana,a senhora costumava colocar flores para enfeitar sua casa.

Em especial,sempre lindas rosas,com cores bem diferenciadas.

A cada semana,o vaso era trocado por uma cor que à seus olhos alegrariam o ambiente.

Sempre as regava,para que durassem muito singelas.

Um dia,ao colocar água no vaso que encontrava-se na janela de seu quarto,viu uma borboleta pousando nas flores.

Ela quis afugentá-la,mas parecia ouvir um pequeno sussurrar que lhe dizia:

Espere!Não faça isso!Estou aqui para dar boas vindas à você e às lindas rosas!

Adoro rosas,suas cores confundem-se com as cores das minhas asas;não vou estragá-las,pode confiar!

A senhora,assustada pensa e pergunta a si mesma:

Borboletas falam?

Deve ser a minha imaginação;como converso todos os dias com as flores,estou ouvindo demais.

Cuidadosamente tenta pegar a borboleta,mas ela acaba voando e desaparece.

Agora vem a grande surpresa!

Ao retirar o vaso com as rosas,percebe que as mesmas estão apagadas e morrendo.

Novamente faz a pergunta a si própria:

O que aconteceu?Acabei de regá-las!

Eis a resposta:

A borboleta era uma visita,que aparecia todos os dias para desejar boas vindas à ela e as rosas,e quando a senhora retirou o vaso,as mesmas sentiram o sofrimento daquela que repousava suas asas para descansar.
Para pensar!

"Não afaste alguém que vem lhe fazer uma visita,poderá ser um grande amigo".


Conto-Carmen Lúcia-imagem-papillondavril




17 de junho de 2013

Esvoaçar das minhas vestes!

Vento que chega,
esvoaçando minhas vestes,
leva-me nesse sopro.

Seja leve como a brisa,
quando vem do mar
e arrepia minha pele e meu corpo
em momentos de amar.

Nesse esvoaçar,
sou ave que voa
chegando até as nuvens,
ao convite
para adormecer.

Fico à espera do amanhecer.

Vento que chega,
esvoaçando minhas vestes,
me acorda desse passeio,
baila comigo
nesse balançar,
retirando esse anseio,
da espera em esperar.

Traga junto,
com o esvoaçar,
o dançar,
de dois corpos,
levando-nos
à loucura em grandes
instantes de amar!

Poema-Carmen Lúcia-imagem-papillondavril.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Amigos

Amigos

Flores com carinho.

Flores com carinho.